O que virá no Tony Awards

por Luis Galvão

Entre as peças, podemos esperar uma lista de veteranos tomando posse das indicações. É incrível como, a cada ano, fortes nomes vão aos palcos e outros voltam de forma surpreendente. Entre as mulheres, temos pesos do teatro: Patti LuPone, Debra Winger, Bette Midler, Fiona Shaw, Holland Taylor. Entre as mais novas, podemos apostar ainda em Katie Holmes, Emilia Clarke e Scarlett Johansson. Isso tudo apenas em plays. O que parece ser o ano das peças e não dos musicais.

Para as categorias masculinas, Tom Hanks e Nathan Lane devem batalhar pela premiação principal. Lembrando que ainda tem Al Pacino e Alan Cumming super prestigiados também no páreo. Dois gigantes em peças prestigiadas por todos. Mais podemos imaginar Paul Rudd e Jim Parsonssendo como a ala jovem. Bobby Cannavale, Douglas Hodge, Boyd Gaines e Richard Thomas também são fortes nomes. Ou seja, mais do que nunca, as peças receberam o devido reconhecimento dentro da premiação.

Dos musicais novos, BRING IT ON parece ser o com as melhores coreografias, CHAPLIN não causou muito burburinho. Deve ficar mesmo entre KINKY BOOTS, MATILDA (que deve repetir o sucesso de BILLY ELLIOT), talvez MOTOWN ou SCANDALOUS também consigam algum prestígio em um ano sem expressividades entre os musicais (fenômeno que já tem uns três ou quatro anos).

Entre os revivais, as coisas parecem um pouco melhores. Temos ANNIE (que desde ano passado promete muito), PIPPIN e talvez o mais badalado da temporada, que é RODGERS + HAMMERSTEIN’S CINDERELLA. Esse sim parece ter levado o público americano de volta aos teatros para as grandes produções.

Conheceremos os indicados ao Tony no dia 30 de Abril e poderemos pesquisar e ficar mais por dentro das produções americanas que, pelo menos entre os musicais, parece morna em relação ao passado.