Argo

por Luis Galvão

Os críticos amaram e os norte-americanos também. Já foi veiculada uma notícia que o Irã irá custear um ‘filme-resposta’ à Argo, mostrando o que realmente aconteceu. O fato é que, nem a ausência de Affleck entre os indicados ao Oscar, fizeram o seu novo filme passar desapercebido.

Juntando uma história por si só inusitada, uma direção precisa e um time de atores sensacionais (Kerry Bishé é desconhecida, porém, totalmente irresistível), o longa tem um clímax de tirar o fôlego mas com aquela saída clichê de desencontros e perseguição em pleno voo, recursos batidos que sempre dão o tom épico das cenas e um lado mais ‘afetivo’ de pai e filho, desnecessário e que também esteve presente em Atração Perigosa. Assim como os filmes anteriores – e The Town ainda superior a esse – Affleck está sendo feliz como um contador de histórias. Veremos o que o futuro lhe aguarda.

Argo (dir. Ben Affleck) ★★★★