Com amor, Woody

por Luis Galvão

Na linha ‘cidades europeias para se amar‘, Woody deu voz à Roma de forma mosaica, com muito para se aproveitar e pouco finalizado. Não chega a ser uma obra no estilo Meia-Noite (que recebeu um cuidado que poucos filmes do velhinho recebem), mas mostra despretensiosidade relações – muitas. A volta de Woody para frente das telas é a cereja no bolo. Pouco se sente, mas é notável sua existência.

Para Roma com Amor ***
Dir. Woody Allen