Tony Awards #12

por Luis Galvão

Tudo começou com uma grande abertura de NPH. A noite do Tony Awards, mas uma vez, surpreende com a dinamicidade, acurácia e distribuição dos prêmios. Com depoimentos sinceros de grandes vitórias (Audra, como minha aposta, fazendo um ótimo reconhecimento dos parceiros e Hugh Jackman recebendo prêmio especial pela contribuição do teatro longe dos palcos – para quem não sabe, ele será o Valjean na adaptação do clássico Les Miserábles). Também teve prêmio especial para Bernadete Peters e para Emanuel Azenberg, produtor de mais de 30 musicais e peças na Broadway.

Entre as peças premiadas Clybourne Park e Arthur Miller’s Death of a Salesma como o revival. James Corden e Nina Arianda (da pouco premiada Venus in Fur). Borle, que foi astro da série Smash e já fez Legally Blonde: The Musical, ganhou para coadjuvante e Judith Light também foi premiada pela peça Other Desert Cities. Peter and the Starcatcher foi premiado em categorias mais técnicas (Cenário, Figurino, Iluminação, Som) e a direção ficou para Mike Nichols.

Para os musicais, sobrou muita coisa para Once (no total foram 8 prêmios, incluindo Melhor Musical, Roteiro, Ator, Cenário, Iluminação, Som , Orquestra e Direção). O revival The Gershwin’s Porgy and Bess, de teor bem maduro sobre os negros na América, levou também a consagração de Audra como esperado. Toda comunidade só esperava a chance de premiar essa tão amada atriz nos palcos que já esteve ao lado de grandes destaques atuais como também com os dinossauros dos palcos. A adaptação do filme da Disney, Newsies (com Hugh criança), levou melhor Música e Letra, Alan Menken e Jack Feldman nunca erram, e pela coreografia que é impressionante, isso é fato. Nice Work If You Can Get It  levou a casadinha das performances coadjuvantes (McGranth e Kaye).

No geral, mais um Tony Awards que conseguiu, mesmo com poucas produções de tanto destaque, fazer algo interativo e muito dinâmico. Com participações de grandes estrelas, sem perder o charme, mais de uma forma muito mais humilde. Acho que o grande charme é esse. Parece que todos estão ali para comemorar, confraternizar e, independente dos prêmios, todos saem satisfeitos. Coisa que não ocorre em outras premiações.