Smash, quando os musicais invadem a televisão

por Luis Galvão

Transpor musicais para qualquer outro tipo de mídia (cinema, álbuns ou televisão) é um trabalho difícil, complicado e que poucas vezes dão realmente certo. Smash, série da NBC criado por Theresa Rebeck e co-produzida por Steven Spielberg, chegou ao fim semana passada com muitos acertos na concepção de um musical sobre a vida de Marilyn Monroe, mas com alguns deslizes quando o roteiro fugia dos dramas dos bastidores. Principalmente na inserção das músicas.

Com um elenco espetacular (será o melhor do ano?), Smash contou com a volta de Debra Messing, a primeira jornada de Anjelica Houston na televisão e a estreia de uma ex-American Idol, Katharine McPhee, uma veterana dos palcos (já esteve em Wicked, já fez 9 to 5 entre diversos outros), Megan Hilty e ainda Christian Borle que já fez Legally Blonde e Spamalot. As participações incluíram uma ótima Bernadete Peters (brincando de ser ela mesma e até mesmo cantando ‘Everything Coming Up Roses’ e flertando com o sucesso de Gypsy), além de diversos outros atores consagrados da Broadway e até mesmo Uma Thurman apareceu para soltar a ‘voz’.

Sem poder reclamar de elenco, Smash ainda foi presenteada com ótimas versões famosas, desenterrando algumas pérolas do rock e do country. Mas o que mais fascinou em Smash foram as composições originais. As músicas feitas para o musical sobre Marilyn Monroe (Bomnshell) são de uma qualidade incrível. Let Me Be Your Star, History Is Made At Night, Lets Be Bad, 52 Foxx Mambo são composições dignas de premiação na Broadway e as diversas intérpretes derão um show a parte. Você acaba de assistir o seriado e quer muito que Bombshell realmente seja adaptado para a Broadway.

Alguns deslizes ocorreram exatamente quando o foco não era o teatro e passava a ser os personagens que cantavam em karaokê ou olhando para o espelho ou em um restaurante. A inserção de outras músicas, senão nos ensaios e workshops, eram clichês e mal colocadas.

Smash chegou ao fim com um drama digno de um musical, com um plot regular para a próxima temporada e com a certeza que, se as coisas correram bem, teremos um grande musical a cada nova temporada com um novo grande tema e a volta de muitos personagens. Não sei como será a estrutura do próximo ano, mas se continuar assim, com o elenco advindos dos palcos e participações como as desse ano, acho que já virei fã.