Os não-indicados Tony Awards 2012

por Luis Galvão

Vi um artigo no GoldDerby e gostei. Farei semelhante, só que em português. Com o anúncio dos candidatos ao Tony (muitos bem colocados, principalmente The Gershwins’ Porgy and Bessv com Audra e Clybourne Park. Além do Once, com maior número de indicações e Nice Work If You Can Get It, que eu simplesmente achei fantástico pelos vídeos e trilhas), alguns foram esquecidos, renegados e escanteados pelo Tony. Nomes de grande porte, como Bernadette Peters (que está boa, mas com plásticas demais no rosto, em Follies), um eterno criança Matthew Broderick em Nice Work If You Can Get It.

Não sei se o revival de A Streetcar Named Desire foi um desastre, mas, sinceramente, fazer com que o texto de Tennessee soasse ruim, parece um absurdo. O musical de Ghost parecia interessante e o multi milionário fracassado Spider-Man foi por água abaixo (poucas indicações, quase mínimas para preencher lugares vazios e fazer apresentação-show no dia da premiação). The Mountaintop (sobre Martin Luther King com Samuel L. Jackson também não foi lembrada na categoria principal).

Godspell também não foi, mas a vaga para ‘musical gospel’ do ano foi para Jesus Christ Superstar (produção sensacional, pelo que li). Alan Rickman e Hugh Dancy e Samuel L. Jackson também poderia ser indicados facilmente para atores em Play. Foram substituídos, a altura, por Seymour Hoffman, Lithgow e Langella. Sobre atrizes, Angela Bassett (que está na mesma peça que o Samuel) e Rachel Griffiths – só porque eu gosto muito dela – também não tiveram indicações para o prêmio que eu torço pela Stockard Channing ou Cynthia Nixon.

Jennifer Damiano, que fez sucesso com Next To Normal e foi indicada pela primeira vez com 17 anos, não repetiu o sucesso com Spider-Man e Elena Roger também não fez sucesso com sua Eva Perón. O prêmio vai mesmo para Audra McDonald.

No balanço geral, mas uma vez, sinto que as produções da Broadway estão precisando de alguma coisa que me lembre os bons tempos de Hairspray,Avenue Q, Wicked, Spring, Next, Billy, God of Carnage, Red, 33 Steps, Hair Revival. Desde ano passado (Book of Mormon é bom, mas não sensacional), sinto falta de um super musical que contagie todo mundo. Veremos se em Junho, algum desses indicados faram a platéia aplaudir de pé após uma apresentação.