As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne

por Luis Galvão

Qual a relação existente entre uma animação verossímil que atinge e retrata com fidelidade um aspecto cultural (mesmo que em traços simples de um desenho) e uma aventura que utiliza de todos os artifícios possíveis para entreter? E, o que se paga para poder filmar o que quiser, do jeito que quiser e sem limites de filmagem? Quando Spielberg disse que esperaria o momento exato para fazer Tintim, acho que, agora, sei o motivo.

O enredo, tirado de uma das histórias de Hergé, narra o encontro de Tintim com o Capitão Haddock e a busca pelo tal segredo de um navio da família do Capitão. Simples, sem grandes firulas narrativas, o longa preza pela aventura. E quando faz essa escolha, renega, de forma inesperada, a inteligência do personagem (o que deveria, em tese, ser o principal atrativo para qualquer fã dos quadrinhos). Spielberg coloca tantas cenas de aventuras ‘filmadas’ de modo impossível para um ser humano que parece que, enquanto estava se divertindo com os remelexos da câmera, esqueceu que o público poderia ficar tonto de tantos giros e saltos pelo ar.

Esse fato, porém, não tira o mérito do filme que está no nascedouro da amizade entre os dois ‘principais’ personagens e a aparição de tantos outros que habitavam a mente de forma linear, sem a dimensão e ‘profundidade’ que um 3D pode realizar. De fato, o embarque em terceira dimensão é dispensável, mas atrativo para as platéias.

Voltando à pergunta que iniciei o texto, recordo-me de algumas animações da Pixar, Dreamwork ou Sony que são simplesmente inverossímeis, mas que agradam multidões (de crítica à público). Tintim deve ser tratado como tal animação e não como algo que pudesse fugir desses padrões e revolucionar o gênero. E Spielberg esperou tanto tempo para produzir esse filme, apenas para poder brincar o quanto quisesse com as mil cenas de ação tratadas. Espero que na continuação esse recurso seja utilizado com mais parcimônia e que possamos, realmente, ver a inteligência de Tintim sendo utilizada.

***
As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne
Dir. Steven Spielberg