o homem do futuro

por Luis Galvão

O cinema brasileiro com temática tipicamente americana. Misturar viagens no tempo com uma questão moral por trás e um pouco da teor cômico tupiniquim, poderia sair como uma feijoada feita por ingleses. Porém, Cláudo Torres foi fundo nos efeitos especiais e na sutileza dos detalhes para colocar Wagner Moura em situações diferentes para o cinema brasileiro, mas iguais se comparado a outros gêneros multinacionais. O desfecho foi, assim, bem articulado e os personagens que poderiam passar desapercebidos tiveram grande influência na narrativa final do longa.

Talvez o excesso de viagens, alguns furos no roteiro e o própio teor cômico muitas vezes forçados, não deixa O Homem do Futuro ser um dos melhores filmes brasileiros do ano, mas o coloca na posição de sucesso com o público em geral, que, após as constatações físicas do destino, se acomodam em suas poltronas não para aprender teoria quântica, mas para se divertir.

O Homem do Futuro de Cláudio Torres