a casa

por Luis Galvão

Existem filmes que valem alguma vista pelo esforço de ser realizado. Gustavo Hernández e um plano-sequência de 78 minutos em seu primeiro filme. O resultado, por mais que seja irregular, tem méritos primeiro pela limitade de recursos e segundo por ser de um país pouco expressivo, o Uruguai.

Laura (Florencia Colucci), acompanhada do pai (Gustavo Alonso), chega a tal casa para uma reforma, mas de noite, barulhos não deixam os dois dormir. O grande e derradeiro problema de La Casa Muda é a mudança brusca no foco de filmagem. No começo, o plano subjetivo, com ênfase no olhar da Laura, é legal. De uma hora para outra, o foco se desfaz e existe uma filmagem externa, como se a câmera se soltasse da linha utilizada, tirando todo o clímax do filme inteiro.

A Casa de Gustavo Hernández