a garota da capa vermelha

por Luis Galvão

Está sendo fácil perceber a direção de Catherine Hardwicke atualmente. Depois do ponta pé inicial sem recursos de Crespúsculo e criar polêmica com Rachel Wood em Aos Treze (também sem recursos), a texana tinha prestígio suficiente para criar seu próprio conto de fadas. Por mais que todos digam que a Chapeuzinho Vermelho foi ‘atualizada’, prefiro assistir A Garota da Capa Vermelha e considerar um conto próprio. E um que Hardwicke brincou de gastar.

Seja nos bosques gelados, ou na direção de arte bem tratada, parece que o longa foi feito para utilização dos devaneios de Hardwicke junto com um elenco que se sente bem a vontade para participar do projeto. O saldo final é indesejável do ponto de vista cinematográfico (roteiro, angulações e tratamento para agradar massas e nada mais), mas compreensível vindo da diretora, que pode gastar o dinheiro com o que quisesse, sem interferências ou limitações.

A Garota da Capa Vermelha de Catherine Hardwicke