vamos fazer um brinde

por Luis Galvão

image

Um estilo remotamente teatral com um conjunto de belas e negras atrizes contemporâneas, Vamos Fazer Um Brinde é um emaranhado de personagens em diversas situações (e que se envolvem, no decorrer do filme, em várias outras). É um longa sobre mulheres e aparentemente para mulheres. O que não é ruim, o torna um pouco restrito.

São várias amigas (e um amigo gay) que se reúnem às vésperas do ano novo para contar experiências e outras coisas da vida. No meio disso tudo, surgem os problemas certos de amizades longas e os mais clichês dos estereótipos (a nervosa, a meiga, a romântica, a Workaholic, a lésbica) o que é bom – por ter um relacionamento com a platéia – mas não traz nada de novo. Uma é pedida em casamento, uma pede desculpas, uma é espancada, enfim, as coisas se alternam entre a tensão e a alegria.

A diretor Sabrina Rosa parece entender as ansiedades e necessidades do elenco (até porque, como atriz, é  muito mais fácil ter a vivência interna) e conduz tudo com frescor e a felicidade de um brinde, no qual se identificar com qualquer uma das personagens é a coisa mais fácil.

Vamos Fazer Um Brinde de Sabrina Rosa