bróder

por Luis Galvão

image

Quando um diretor se aventura a filmar seu longa de estréia, deve estar ciente das críticas negativas, comparações maldosas e zum zum zum negativo que seu filme pode causar. Jefferson De parece não ter que se preocupar muito com esse lado negativo em sua estréia, uma vez que Bróder está sendo aclamado em diversos festivais e parece agradar não apenas a crítica como a platéia– tomando por parte a sessão cheia que assistir ontem.

Por mais que em alguns momentos ele ainda falhe e que seja um primo distante de Cidade de Deus, com seus personagens malandros (o trio Caio Blat, Silvio Guindane e Jonathan Haagensen entrosado), diálogo rápido e uma trama policial não muito boa por trás. Acerta, assim, em não inovar demais e seguir direito a cartilha de estréia, podendo, em um rápido futuro, render bons e maduros frutos.

Bróder de Jefferson De