O Lutador | 2008

por Luis Galvão

image Darren Aronofsky é um dos meus diretores favoritos na atualidade. Todas suas obras – até agora – me surpreenderam de alguma forma. Seja a crueldade explosiva de Réquiem, ou o tormento psicológico de Pi, seu estilo dinâmico e progressivo conseguiu desenvolver verdadeiras histórias de ascensão e declínios. Em O Lutador, mais uma vez o diretor explora o lado mais cruel do homem e transforma a história pseudo-real do ‘Tha Ram’ em um tratado sobre a falência humana. Quando Mickey Rourke assume, de corpo e alma, viver esse personagem, parece se entregar ao limbo entre realidade e ficção, se transformando no próprio ‘The Ram’. Se apenas fosse por isso, o filme de Darren seria bom. Porém, é possível extrair muito mais do longa, que nos entrega uma direção segura, sóbria e mais calma dessa vez. O strip de Marisa Tomei é um plus que não ocorre por acaso e a rebeldia de Evan Rachel Wood é o contraponto perfeito para a conclusão reflexiva. ‘The Ram’, ao final, é o diálogo de Aronofsky com o mundo depressivo e autoflagelador que vivemos. (THE  WRESTLER, de Darren Aronofsky/ 2008, EUA, 115’) | | | | |