Os Coletores | 2010

por Luis Galvão

imageQuer vê uma coisa que me admira?  O envolvimento de bons artistas em projetos que já nascem fracassados. Em um futuro distante, as pessoas poderão ‘comprar’ órgãos artificiais e pagar uma taxa mensal para o uso. As pessoas que não pagam são ‘caçadas’ pela União e os órgãos são arrancados de seus corpos friamente. Jude Law e Forest Whitaker são caçadores, mas o primeiro acaba necessitando de um órgão e não consegue pagar, transformando-se em um ‘caçado’. Ele se junta com Alice Braga e resolvem fugir. O roteiro tem uma espécie de ressonância com as pessoas que compram e não pagam, mas o filme passa longe de fazer alguma ponte com o presente. O que é ruim tanto para quem assite quanto para quem esperava um ficção aos moldes de Minority Report. O mais estranho, porém, fica por conta dos atores envolvidos em um projeto que – para mim – se não fosse dirigido por um Spielberg ou até mesmo um Luc  Besson ou Michael Bay ficaria muito estranho. A estréia de Sapochnik, que era do departamento de arte de filmes como  Trainspotting e A Life Less Ordinary, não foi muito feliz. (REPO MEN, de Miguel Sapochnik/ 2010, EUA, 111’) ||