Demônio | 2010

por Luis Galvão

imageEu até poderia discorrer sobre a cova que M. Night Shyamalan está cavando com sua reputação, mas vou me reter ao filme que ‘saiu da mente’ do diretor. Após desastres anunciados, o indiano se volta para filmes menores, menos comerciais e tentando resgatar seu estilo de terror que tanto fez sucesso no passado. O susto que não é (a princípio) observado. O roteirista Brian Nelson se juntou com a direção de John Erick Dowdle, resultando em um filme com bons momentos, mas que ainda não lembra a inteligência narrativa do passado. Os sustos, as reviravoltas, o medo do desconhecido e as tramas paralelas estão todas lá, só que dentro de um pequeno elevador com pessoas diferentes. Se a sinopse consegue vender bem, o filme em si é longo o suficiente para que no final torçamos pela conclusão. Tem aqueles momentos vergonha-alheia (a geléia com pão) e a claustrofobia que eu esperava não foi suficiente para me entreter. Qualquer coisa, porém, iria ser melhor que o último projeto em que o indiano se envolveu. (DEVIL, de John Erick Dowdle/ EUA, 2010, 80’) ||