Amor à Distância | 2010

por Luis Galvão

Fomos acostumados a ver Drew Barrymore em diferentes papéis, mas acredito que sua imagem sempre esteve atrelada a comédias românticas (mesmo que ela já tenha provado que consegue ser muito mais que um rosto bonito, Grey Garden está aí para isso). Em Amor à Distância ela estava contracenando com seu namorado, pegaram um roteiro leve, descontraído e ágil o suficiente para entreter tanto como comédia quanto romance. A química entre Drew e Long é incrível e ajuda muito o filme a se desenvolver.

Nanette Burstein, estreante em longas, seguiu a cartilha e não teve dificuldades em transformar o argumento batido em algo agradável – mesmo com os verborrágicos palavrões a todo momento. Tem a Applegate como a irmã de Drew, Charlie Day e Jason Sudeikis como os melhores amigos. Ou seja, a piada está pronta, basta você querer acreditar no elenco que é – sem dúvidas – o forte dessa comédia com temas clichês, mas uma roupagem que ajudou a tranformá-lo para o século vinte e um.

(Going the Distance) |||