A Última Noite (2006)

por Luis Galvão

Hoje faz exatamente 61 anos que uma das maiores lendas do cinema nasceu. Meryl Streep. Qualquer projeto, qualquer diretor, qualquer roteiro ganha contornos magníficos quando essa atriz está envolvida. Não por acaso é recordista de indicações nas mais variadas premiações, é elogiada pela maioria dos críticos e endeusada pelos amantes da sétima arte. Meryl já é uma lenda e está no subestimado último filme de Altman.

O velho Teatro Fitzgerald abriga os cantores de rádio em sua última transmissão ao vivo e o tom de melancolia e saudosismo é sentido – e mostrado – aos poucos, dando ao filme certo ar de adeus que se torna meio cafona quando rodeado de um humor discreto e bizarro do interior dos Estados Unidos. Com vários (vários!) números musicais belissimamente interpretados e cantados pelos bons atores, o longa é cheio de pequenos detalhes que encantam e uma trilha sonora que eu adoro. Meryl e Lily como as irmãs remanescentes de um antigo grupo country cantando ‘Goodbye To My Mama’ é admirável e o final no ‘Mickey’s Dinner’ é um tanto quanto emocionante.

(A Prairie Home Companion, EUA, 2006) Diretor: Robert Altman; Roteirista: Garrison Keillor; Elenco: Meryl Streep, Lily Tomlin, Woody Harrelson, Tommy Lee Jones, Garrison Keillor. Lindsay Lohan, Virginia Madsen, John C. Reilly.