Não, Minha Filha, Você Não Irá Dançar (2009)

por Luis Galvão

Dificilmente Chistophe Honoré me decepciona. Desde o drama incestuoso ‘Ma mère’, passando pelo singelo ‘Canções de Amor’ e mais recentemente com ‘A Bela Junie’, todas suas obras são sinceras e conquistam a maioria apreciadora do cinema francês. ‘Non, Ma Fille, Tu n’ Irais Pas Danser’ não é tão bom quanto seus filmes anteriores exatamente por Honoré perder um pouco aquela sutileza tão perspicaz.

Pela primeira vez como protagonista, a ótima Chiara Mastroianni (sim, ela é filha de Catherine Deneuve e Marcello Mastroianni!), vive uma mulher sempre a beira de um ataque de nervos, Lena, que vai passar um tempo na casa de campo dos pais para tentar superar a recém separação. Chegando a casa, toda a família (mãe, irmã, irmão, sobrinhos e cunhado) está presente para aumentar ainda mais as discussões, e em uma atitude insensata, a mãe de Lena resolve chamar o ex-marido para que sua filha tente uma reconciliação.

São muitos personagens, e nenhum deles que realmente nos envolva. Lena é impulsiva, atormentada e cheia de problemas emocionais, ainda é cercada por outras tantas pessoas tão problemáticas quanto ela – essas famílias disfuncionais são quase uma constante no cinema francês (Algo que Você Precisa Saber, por exemplo) – e todo o caminho que Lena deveria percorrer é cheio de palpites irônicos, sarcásticos e mal-humorados, um grande acerto no começo, que fica monótono no final.

‘Não, minha filha, você não irá dançar’ não é um filme fácil. Ele tem uma montagem um pouco confusa que alterna passado, presente, futuro e ‘contos anexos’ que às vezes atrapalha, tem um roteiro ora verborrágico ora silencioso e uma protagonista que procura se desenvolver, mas escolhe o caminho mais difícil. Enfim, é um francês na sua essência.

Não, Minha Filha, Você Não Irá Dançar (Non ma fille, tu n’iras pas danser, França, 2009) Diretor: Christophe Honoré; Roteiristas: Geneviève Brisac, Christophe Honoré; Elenco: Chiara Mastroianni, Marina Foïs, Marie-Christine Barrault, Jean-Marc Barr, Fred Ulysse, Louis Garrel, Marcial Di Fonzo Bo, Alice Butaud, Julien Honoré; 105 min.