Invictus (2009)

por Luis Galvão

Clint Eastwood é o típico artista que costumar agradar ao público, à crítica e ainda aos cinéfilos, ou seja, qualquer obra dele é respeitada e admirada por muitos. Dessa vez o diretor acerta ao direcionar a trama de ‘Invictus’ a um momento específico da vida de Mandela desconhecido por muitos, mas peca em não sair dos conhecidos clichês de cinebiografias. Endeusar os líderes, acima de tudo.

Nelson (Morgan Freeman) acaba de sair da prisão e vê seu país a beira que uma guerra civil entre brancos e negros e, a poucos meses de sediar a Copa Mundial de Rúgbi, a equipe nacional – os Springboks – é um desastre completo. Vendo a oportunidade de unir os cidadãos em torno de um único objetivo a partir do esporte, ele chama o capitão do time, François Pienar (Matt Damon), e mostra para ele a força de uma verdadeira liderança. Aos poucos, o jogo vai conquistando o povo e se destacando na competição, até chegar à temida final contra os neozelandeses.

Baseado no romance de John Carlin, o roteiro tem algumas subtramas interessantes, mas sem o desenvolvimento necessário. A delegação que cuida da segurança do Presidente, a família de Pienar, a relação de Mandela com a ex-esposa e o futuro do time de rúgbi são pontos soltos e sem solução. A força do filme reside, assim, na figura de Freeman que encarna o líder com eficácia e sem parecer caricato, já Damon não entrega nada além do óbvio e sem argumentos para a indicação no Oscar.

Tirando algumas escolhas erradas de Clint (filmar muitas cenas internas, com cenários que revezam entre o gabinete, a sala dos seguranças e o estádio), o filme tem momentos de glórias, músicas de entusiasmo, uma montagem dos jogos legal e um lindo poema para inspirar todos. E, é claro, os personagens mesmo parecendo estarem errados, no final tomam a decisão que é a melhor para todos, acho que isso é o que mais me incomodou nesse longa que tinha um ótimo material, mas terminou sendo mais um bom filme de Eastwood.

9,0/10
Invictus (Invictus, EUA, 2009); Diretor: Clint Eastwood; Roteiristas: Anthony Peckham, John Carlin; Elenco: Morgan Freeman, Matt Damon, Tony Kgoroge, Patrick Mofokeng, Matt Stern, Julian Lewis Jones, Adjoa Andoh, Marguerite Wheatley, Leleti Khumalo, Patrick Lyster, Penny Downie, Sibongile Nojila, Bonnie Henna, Shakes Myeko, Louis Minnaar; 133 min.