Novidades no Amor (2009)

por Luis Galvão

the_rebound_movie_poster

Sabe aquele filme que você já sabe o que vem na próxima cena, mas que quando acontece você rir do mesmo jeito? Pronto. Nesse novo filme de Bart Freundlich há muitas cenas assim. O que não deixa de ser um mérito.

A história de Sandy (Catherine), uma quarentona que acaba de se divorciar, têm dois filhos, mas ainda mantém o corpo de uma garota de vinte anos, arruma um novo emprego e acaba se apaixonando por Aram (Justin Bartha), um homem bem mais novo que foi contratado para ser babá dos seus filhos; tem uma trama com clichês típicos do gênero, cenas engraçadas e um ritmo leve do começo ao fim. Tornando mais um no estilo ‘Terapia do Amor’ e tantos outros, mas este tem um pequeno diferencial: o filme mostra que Catherine Zeta-Jones ainda consegue cativar, ser simpática, roubar as cenas em que aparece e estar em sintonia com Justin (que faz um trabalho bom). Juntando com os dois filhos dela (Andrew Cherry e Eliza Callahan) que tem cenas realmente engraçadas, a comédia se torna irresistível

A relação entre os dois é construída da forma mais previsível possível, mas mesmo assim o diretor não escolhe os caminhos de sempre, ele, pelo menos, inova em algumas cenas e piadas. No entanto, é no final que o filme perde um pouco dessa ‘originalidade’, e no último terço o longa corre com as resoluções e Sandy tem atitudes realmente  estranhas. Mas chega naquele mesmo final-clichê de comédia romântica.

E nós notamos que o filme passa sem que você perceba mesmo com essa mistura desses lugares-comuns, uma fórmula que acerta em seus protagonistas e se torna algo que se repete com tanta frequência que já se tornou previsível dentro daquele contexto. Para quem gosta de “comédias românticas padrão”, eis ai um ótimo exemplar.

Anúncios