Flordelis – Basta Uma Palavra para Mudar (2009)

por Luis Galvão

Flordelis

Quando se quer homenagear uma pessoa por seus méritos é normal que se coloque um grande esforço para que o trabalho final seja o melhor. Mas para contar a história de uma mulher que adotou 46 crianças na favela do Jacarezinho, parece que o maior esforço de todos foi conseguir o maior número de atores globais para o filme.

O documentário/ficção teve direção de Marco Antonio Ferraz, e vai contar através de depoimentos as histórias verídicas de várias pessoas que se viram envolvidas com Flordelis, uma professora pública que adota crianças de ruas ou vítimas de chacinas, e as coloca em sua casa, tornando quase um refúgio, a polícia chega a afirmar que ela seqüestra crianças ou abriga bandido, mas ela acolhe todo tipo de pessoa, desde prostituta até portadores de HIV.

Ferraz talvez tenha tentado usar a fórmula mais que acertada de Eduardo Coutinho (Jogo de Cena, Edifício Master) de misturar atores interpretando personagens reais, mas aqui à coisa é muito forçada, e os atores passam vexame tentando ser o que não são. Partes como a de Reynaldo Gianecchini, Cauã Reymond, e Sérgio Marone são constrangedoras, forçadas e superficiais, todos estão com uma maquiagem perfeita, um cenário que parece uma peça escolar, um figurino inverossímil, e a fotografia preta e branca apenas ressalta esses aspectos tão gritantes com a má produção.

Juntar mais de 15 atores globais em vez de colocar as próprias crianças para darem seus depoimentos talvez seja o maior erro desse documentário que foi feito para elogiar e mostrar ao mundo que algumas pessoas ainda ajudam aqueles que precisam, é o caso de Flordelis, um exemplo de cidadã, mas que teve uma homenagem que não condiz com sua ótima história de vida. Uma pena.

Anúncios